Posicionamento do psicanalista sobre a liminar que permite tratar homossexualidade como doença. | ANEP
A ANEP (Associação Nacional de Estudos Psicanalíticos) mantém Cursos de Formação e Especialização em Psicanálise e Psicoterapias Psicanalíticas e Saúde Mental em Sorocaba.
ANEP Psicopatia
16136
post-template-default,single,single-post,postid-16136,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-17.1,qode-theme-bridge,disabled_footer_top,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive

Posicionamento do psicanalista sobre a liminar que permite tratar homossexualidade como doença.

Não há fundamentação psicanalítica para algo que possa ser denominado cura gay. Psicanalistas, de posse de uma teoria científica que fundamenta uma prática clínica, voltam-se radicalmente para a singularidade da vida mental de cada sujeito; nossos resultados buscados relacionam-se às verdades de cada um, para serem vividas com autenticidade, liberdade, autonomia e responsabilidade.

Freud com suas observações clínicas construiu uma teoria e esclareceu desde o início que a sexualidade humana não é natural, senão diretamente ligada à fantasia; cada um pode buscar o objeto de satisfação de seu desejo, na obtenção de seu prazer nas formas mais variadas. Do ponto de vista psicanalítico, torna-se difícil engajarmo-nos em propostas normatizadoras no tocante à busca de satisfação sexual, visto não estarmos determinados pela natureza, como no instinto que opera nos animais. A vida sexual dos humanos é independente da procriação.

Aos analistas compete esclarecer e compreender as fontes de angústia em cada um de seus pacientes e ajudar a combater forças repressivas que tolhem as buscas de prazer, a liberdade e a criatividade. O controle da moral, dos costumes e o cumprimento da lei competem a outras instâncias de nossas organizações sociais.

Fonte: Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo



X